terça-feira, 13 de outubro de 2015

Restauro de uma antiga “Vesta” - 004

 

As máquinas de costurar, marca Vesta, foram fabricadas pela empresa L.O. Dietrich, estabelecida originalmente em 1871, (consórcio L.O. Dietrich, H. Kohler e G. Winselmann), na cidade de Altenburg, Alemanha. Em 1905, com a dissolução da sociedade, Dietrich passou a produzir máquinas pequenas, econômicas e fáceis de manusear. Na década de 20, produziu dentre outras, a marca Vesta (deusa romana do fogo) até a segunda Grande Guerra.

A indústria, distinguida dentre as maiores, produziu sessenta e três marcas de máquinas de costurar, cujo sucesso foi comprovado, no auge de sua produção, por centenas de milhares de exemplares exportados, também para o Brasil.

Esta máquina, recebida por doação e em péssimo estado geral, apresentava travamento de todo o sistema móvel, oxidado e ainda com uma nociva aplicação de solução resinosa (supostamente tinta preta, pouco solubilizada, verniz ou óleo aglutinante). Uma espessa camada de poeira estava aderida a todo o conjunto.

1.197.454bParte móvel inferior,  já restaurada e montada

Seu desmonte, ainda que parcial, encontrou exagerada dificuldade, pois que as citadas resinas haviam penetrado pelos orifícios de lubrificação e pelas folgas do mecanismo, promovendo solidarização das partes antes móveis.

Fez-se necessário o sequente emprego de métodos abrasivos (raspagens, lixamento,...) com sucessivas aplicações de solubilizantes, pontuais e por imersão.

 ident  1.197.454a  Identificação do número de série e inscrição de fabricante

A pré limpeza foi efetuada com pincel (sem utilização de solventes), de maneira delicada e importantíssima, pois é capaz de encontrar indícios de identificação ou detalhes que caracterizam procedimentos de utilização (pedaços de linha, de tecidos, de alfinetes ou agulhas,...).

Já foram descobertos fragmentos de jornais com caligrafia antiga (“pharmácia”,..), dimensões de roupas, anotações de valores (em “mil réis”), datas e outras peculiaridades decisivas na pesquisa.

garantia Vesta

No interior de uma “Vesta”, encontramos seu certificado de garantia

No corpo da máquina, optou-se por manter as marcas de uso, incluindo retoques existentes de pintura, sendo retiradas apenas as sujidades comprometedoras de funcionamento.

Nossos critérios de restauro técnico evitam desmontes desnecessários, pois que toda e qualquer intervenção em equipamento mecânico antigo, pode produzir sequelas de difícil ou impossível solução, alterando suas folgas ou encaixes.

Assim, normalmente limitamos à retirada e limpeza das partes móveis necessárias, com aplicação de desoxidante, limpeza, ajustes, lubrificação adequada, troca de parafusos, de peças faltantes ou irrecuperáveis, no sentido de permitir a motricidade do sistema, compatível com sua idade e finalidade de utilização.

Eixo  Volante

O eixo do volante, preenchido e torneado, a engrenagem coroa e o volante.

Foram aplicados alguns pequenos cobrimentos de pigmento preto em locais sujeitos a oxidação e também suave limpeza nas partes ainda cromadas.

Na base de madeira, procedeu-se à retirada de escorrimentos de vernizes, manchas e respingos, disseminados pelo conjunto, por processo levemente abrasivo, mantendo a aparência original, sem alterar as marcas do tempo.  Foi aplicado produto antitérmitas (cupinicida), com sequente emprego de cera protetora.

 

Informação Oportuna:

Durante quatro décadas dedicadas ao restauro e preservação das antigas máquinas de costurar, sempre esbarramos na extrema dificuldade em conseguir agulhas específicas, assim como para esta “Vesta”. As agulhas atuais possuem a parte superior alargada e as adaptações por torneamento ou fresamento são operações perigosas e árduas, pelas reduzidas dimensões e dureza do aço.   (vide publicação 12 de nosso “museumaquinascosturar.blogspot.com.br”).

 coloc agulhaInstruções de colocação da agulha (Manual original Vesta)

Recentemente, porem, recebemos o auspicioso contato do Sr. Ivan Ternes (Itajaí – SC), informando ter conseguido as tais raridades na CADEDO (SP). Imediatamente contatamo-nos com a empresa (gentilmente atendidos) e adquirimos alguns exemplares delas, fabricadas na República Tcheca.   Estes elogiáveis procedimentos justificam a manutenção deste blog e incentivam nossa dedicação ao restauro.

agulhas  agulhas colocada

As preciosas agulhas Tchecas e já instalada na “Vesta

 

Esta “Vesta” foi a primeira máquina restaurada que utilizou a agulha citada.

VESTA A “Vesta” restaurada

Após restaurada, a condição geral da máquina demonstrou ser satisfatória, sem falhas de funcionamento ou folgas exageradas, apresentando-se tal como em sua época de atividade e pronta para ser acervada no nosso Museu de Antigas Máquinas de Costurar (MAMC).

A máquina de costurar é uma peça histórica e a sua preservação é indispensável, por traduzir um sistema mecânico característico, com a grande importância de sua finalidade de execução e conserto de vestimentas e afins, na época inexistentes ou difíceis fora do lar.

Nesta publicação, o agradecimento ao Sr. Ivan Ternes

 

Darlou D’Arisbo – Outubro de 2015